VALE CARAPITO

VALE CARAPITO

O Vale Carapito é uma área-chave para a conectividade da paisagem no Grande Vale do Côa. Aqui, a Rewilding Portugal está a implementar ações de restauro ecológico para tornar o Grande Vale do Côa num lugar onde processos naturais e cadeias tróficas completas desempenham papéis fundamentais na paisagem.

O Vale Carapito, uma propriedade adquirida pela Rewilding Portugal para executar ações de conservação que reforçam o corredor ecológico do Grande Vale do Côa, é a nova área de aplicação prática de rewilding em Portugal. Localizada perto de Vilar Maior, no conselho do Sabugal, promete ser o novo mostruário dos benefícios que o rewilding tem para a natureza e quais os resultados que pode atingir.

Além disso, para além da renaturalização da paisagem e dos ecossistemas, terá ainda uma importante função de turismo baseado na natureza e sustentável.

Com uma paisagem heterogénea, boa diversidade de habitats e espécies associadas, o terreno desta propriedade tem condições muito favoráveis à renaturalização do mesmo, que já está a ser levada a cabo. O Vale Carapito integra a Rede Natural 2000 e faz parte do SIC Serra da Malcata e  beneficia ainda da sua proximidade à aldeia de Vilar Maior e às suas comodidades e serviços, assim como do património histórico e cultural presente na região (Grandes Rotas do Vale do Côa e das Aldeias Históricas, pequenas rotas, etc.)

Várias ações de conservação já ocorreram nos últimos meses, nomeadamente a monitorização de flora e fauna, para estudar a biodiversidade vegetal e animal da propriedade, assim como da paisagem e dos solos, algumas delas com o apoio da Terra Prima. O objetivo destas ações de monitorização é conhecer o território em que nos encontramos a trabalhar e poder comparar níveis atuais com os níveis após aplicação de medidas de rewilding (passivo ou de gestão ativa em casos específicos). Estão ainda planeadas ações de promoção de pastoreio natural, através da utilização de herbívoros em estado semisselvagem; ações de remoção de estruturas obsoletas, que funcionam como barreiras para a fauna selvagem da região; ações de controlo de espécies invasoras; ações de gestão ativa de combustível e ainda ações de vigilância do território.

Uma manada de dez cavalos Sorraia está neste momento a habitar no Vale Carapito, uma iniciativa para recuperar a importância que estes grandes herbívoros têm na gestão e modelação da paisagem. Atualmente existem apenas cerca de duas centenas de cavalos desta raça autóctone portuguesa em todo o mundo, pelo que a sua introdução no Grande Vale do Côa é «um marco importante». A manada está a viver em estado semisselvagem e a ter um papel fundamental na transformação da paisagem e em demonstrar os resultados da abordagem rewilding de conservação da natureza. Estes cavalos vieram da Reserva Natural do Cavalo Sorraia, em Alpiarça, e a sua escolha é também um «esforço e contributo» para a conservação e valorização desta raça autóctone.

A aposta de realizar turismo baseado na natureza através do Vale Carapito vai gerar novas oportunidades económicas para a comunidade, desenvolvendo um novo modelo de negócio que permite trazer a natureza de volta a áreas importantes para a biodiversidade. Ajudar a natureza a recuperar, restaurar ecossistemas funcionais, com uma grande abundância e diversidade de vida selvagem pode trazer benefícios para as populações locais.

Por esse mesmo motivo, já pode visitar o Vale Carapito com a Wildlife Portugal, operador da Rede Côa Selvagem, e fazer a sua reserva aqui. Além disso já foram criados pacotes turísticos mais voltados para a comunidade internacional, através de parcerias com a Impact Trip e European Safari Company.

Quer fazer parte deste movimento e ajudar à aplicação de rewilding no Grande Vale do Côa? Agora pode fazê-lo através da EarthToday! Esta plataforma dá a possibilidade aos visitantes e membros de possibilita patrocinarem um terreno na área de rewilding do Grande Vale do Côa, através da aquisição de metros quadrados. Podem ajudar a Rewilding Portugal neste processo de desenvolvimento de um corredor de vida selvagem de 120.000 hectares nesta região, um passo vital para interligar populações de animais selvagens como as do lobo ibérico ou mesmo o lince ibérico.
Ajude-nos a tornar Portugal, e nomeadamente o Vale Carapito, num lugar mais selvagem, metro a metro! Saiba como o pode fazer aqui.

Fauna e flora do Vale Carapito

Como chegar a Vilar Maior

Vilar Maior faz parte da  União de Freguesias de Aldeia da Ribeira Vilar Maior e Badamalos. Situa-se no concelho do Sabugal e tem bons acessos de estrada. Apesar da maior facilidade de acesso ser realizada de carro, existem também autocarros que vão do Sabugal a Vilar Maior e cujos horários podem ser consultados aqui. É possível chegar ao Sabugal para transbordo (via autocarro) para Vilar Maior de todos os cantos do país, tanto de comboio (através da utilização da linha regional da CP que liga Sabugal à Guarda e a outros concelhos do distrito, podendo utilizá-la chegando a estes) como de autocarro através de várias ligações com os restantes concelhos do distrito.

As coordenadas de localização são 40.47775057532103, -6.931877984354944 e pode aceder-lhe diretamente aqui.

  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.