A. Ações Preparatórias

A. Ações Preparatórias

Um passo inicial que é crucial para o sucesso do projeto é entender a situação atual na área do projeto e onde a intervenção é mais necessária. Para obter esse conhecimento, uma série de ações preparatórias serão realizadas, o que fornecerá uma base sólida de conhecimento para informar as subsequentes ações de conservação.

A.1 Preparação da base administrativa do projeto

Esta ação tem como objetivo preparar toda a documentação administrativa e jurídica necessária para a execução do projeto. A ação decorrerá durante todo o projeto e inclui processos como seleção de staff, compra de equipamentos e materiais consumíveis, subcontratação e outros procedimentos administrativos e legais que possam aparecer no decorrer do projeto.

Rewilding Portugal

A.2 Reunião inicial e treino dos parceiros do projeto sobre disposições comuns e gestão do projeto

A reunião inicial do projeto LIFE WolFlux teve lugar nos dias 27 e 28 de março de 2019 na sede da Rewilding Portugal na Guarda. Representantes de todos os parceiros do projeto reuniram-se para discutir os seguintes temas:

  • Plano detalhado para o primeiro ano do projeto;
  • Acordo sobre métodos e técnicas específicos a serem aplicados durante as atividades;
  • Discussão de possíveis problemas, mudanças e atrasos e como superar ou resolver problemas;
  • Briefing aprofundado sobre as diretrizes técnicas e administrativas para a gestão do projeto LIFE.
Andoni Canela

A.3 Levantamento inicial da atividade do lobo e análise de ecologia da alimentação na área do projeto

A atual base de dados dos perfis genéticos do lobo a sul do rio Douro não é suficiente para avaliar o fluxo genético da subpopulação, e para identificar onde existem problemas na conectividade entre as alcateias.

Para colmatar esta lacuna de conhecimento, será realizado um levantamento inicial de lobos ibéricos em toda a área de estudo, a fim de obter dados espaciais da espécie-alvo, perfis genéticos individuais, dados de ecologia trófica e dados de inquéritos sobre centros de atividade.

Amostras não invasivas serão obtidas através de foto-armadilhagem, recolha de amostras (dejetos) e amostras de saliva recolhidas em carcaças de animais atacados por lobos na área do projeto. As amostras de saliva e os dejetos serão analisadas geneticamente para determinar o fluxo genético entre as diferentes alcateias.

GRZEGORZ LEŚNIEWSKI / WILD WONDERS OF EUROPE

A.4 Ações preparatórias para aumentar a disponibilidade de presas selvagens para lobos

O projeto visa aumentar a população de corço, particularmente em áreas onde possa ser uma presa importante para o lobo ibérico. O reforço de corços terá vários impactos possíveis que precisam ser avaliados com base numa componente científica rigorosa. O objetivo principal é, portanto, determinar o estado atual da população de corços na área de estudo, determinando a sua densidade atual, abundância e distribuição.

Além disso, por meio desta ação, a equipa do projeto irá também preparar todas as etapas necessárias para implementar as medidas de restauração de habitat e o reforço de corços. Áreas para reforço serão selecionadas nas áreas da rede Natura 2000 do Douro Internacional, Vale do Côa e Malcata.

Os locais serão selecionados com base nas informações fornecidas pela pesquisa sobre o lobo (Ação A.3), a pesquisa sobre o corço (Ação A.4) e o estudo de atitudes públicas (Ação A.7). Isto garantirá que estas áreas são adequadas em termos de habitat e que as restrições sociais à presença de corço estão ausentes ou podem ser suficientemente reduzidas dentro da duração do projeto.

Acordos de custódia serão assinados com proprietários de terra ou associações de caça nesses locais. Acordos adicionais serão também assinados em outras áreas dentro da área de distribuição do lobo ibérico e onde as populações de corço precisem de aumentar a sua distribuição ou densidade para que esta espécie seja uma presa representativa para o lobo. Esses acordos permitirão que a equipa do projeto realize as medidas de restauração do habitat e obtenha um compromisso dos proprietários de terras de que as medidas de restauração serão mantidas a longo prazo.

A.5 Criação de um plano de gestão das espécies de presas de lobo a sul do Rio Douro

Planos globais de gestão serão preparados para espécies de presas de lobo em Portugal (corço, javali e veado) através de um processo participativo.

A fim de assegurar que todas as partes interessadas são incluídas neste processo participativo, associações de caça serão mapeadas e sessões participativas serão organizadas. Outras partes interessadas relevantes, incluindo o público em geral e proprietários privados, também serão envolvidos para definir as diretrizes a serem incluídas nos planos de gestão.

Staffan Widstrand / Rewilding Europe

A.6 Ações preparatórias para a implementação de medidas de prevenção de prejuízos e melhores práticas de gestão

Esta ação visa identificar as áreas e criadores de gado em que se regista um maior impacto devido a ataques de lobos em animais domésticos (hotspots) dentro da área do projeto e que estão dispostos a colaborar com o projeto.

Especificamente, esta ação irá identificar áreas de impacto que serão classificadas como áreas prioritárias para a implementação de medidas de prevenção de prejuízos; criar uma base de dados de proprietários de gado, agricultores e pastores interessados ​​em envolver-se com o projeto, implementando medidas de prevenção de prejuízos; identificar e fazer contacto com pastores que criam cães da Serra da Estrela nativos da área do projeto.

Rewilding Portugal

A.7 Estudo de dimensão humana sobre atitudes e impacto

Um envolvimento direto das partes interessadas tem uma importância vital para o resultado positivo da implementação dos projetos em que estamos envolvidos. No entanto, antes de envolver as partes interessadas, é importante entender os principais grupos de interesse e as suas preocupações, sendo necessário realizar a avaliação da
atitude social da população através de uma auscultação social.

Portanto, está a ser realizada uma análise das partes interessadas para identificar quais são as áreas alvo e os grupos alvo para minimizar o conflito entre humanos e animais selvagens na área do projeto. Está a ser seguida uma abordagem antropológica cuja obtenção de dados consiste na realização de entrevistas etnográficas e observações de algumas atividades. Pretende-se fazer uma auscultação independente, focada nas opiniões dos residentes das áreas dos projetos, em particular de atores chave para o processo tais como autarcas, proprietários rurais, agentes do ambiente e outras partes interessadas. Esta avaliação conta com a orientação científica de especialistas externos e apoio do Centro em Rede de Investigação em Antropologia – CRIA.

As conclusões desta ação serão utilizadas para mapear áreas onde atitudes negativas possam criar uma barreira que comprometa a dinâmica populacional e a conservação de alcateias de lobos.

JUAN CARLOS MUÑOZ | REWILDING EUROPE

A.8 Identificação e planificação de oportunidades de negócios

Oportunidades de negócios, relacionadas com a produção de produtos agrícolas locais, turismo e outros fatores, serão identificadas na área do projeto. Estas oportunidades de negócios devem apoiar os objetivos de conservação da vida selvagem e ser comercialmente sustentáveis.

O processo de identificação de negócios envolverá a avaliação das perspetivas de negócio nas áreas de foco relevantes ao sul do rio Douro. As empresas mais promissoras serão selecionadas para o apoio ao desenvolvimento do plano de negócios.

Isso incluirá suporte técnico ao escrever planos de negócios, empréstimos Rewilding Europe Capital para expansão de operações e suporte em marketing e vendas. O objetivo final é promover empresas baseadas na natureza, criando uma economia mais sustentável e aumentando o emprego, as habilidades e o rendimento das comunidades locais.

JUAN CARLOS MUÑOZ | REWILDING EUROPE

Mapeamento e base de dados de barreiras socioecológicas para informar decisões no âmbito das ações do projeto

Será criado um mapa das barreiras socioecológicas à conectividade do lobo a sul do Rio Douro, bem como um modelo de adequabilidade do habitat, de modo a informar várias das ações de conservação no projeto.

Uma plataforma SIG centralizada será criada para recolher informações das diferentes ações do projeto. A recolha, o armazenamento e a gestão dos dados SIG do projeto ajudarão a acompanhar a implementação e a monitorização das ações, facilitando a gestão do projeto.

Isto permitirá definir as melhores áreas para o lobo ibérico, as potenciais áreas de ocorrência de lobos no futuro e quais áreas não reúnem as condições necessárias para a ocorrência da espécie.

  • Este campo é para efeitos de validação e deve ser mantido inalterado.